Está pensando em adquirir um consórcio? Preste atenção nessas dicas!

Está pensando em adquirir um consórcio? Preste atenção nessas dicas!

Está pensando em adquirir um consórcio? Preste atenção nessas dicas!

O consórcio está consolidado entre os brasileiros como importante alternativa de crédito para aquisições, seja para planejamento financeiro ou aumento de patrimônio. Mesmo assim, ainda há muitas pessoas que não fazem esse tipo de investimento por não entenderem exatamente como funciona, por não conhecerem uma administradora de confiança ou por medo de terem grandes perdas financeiras. 

Neste artigo, eu vou oferecer seis dicas fundamentais pra você que já pensou em fazer um consórcio, mas nunca se sentiu seguro para dar o primeiro passo. Confira abaixo. 

1 – Avalie a administradora

As empresas que formam e administram grupos de consórcio são chamadas administradoras. Elas são regularizadas e fiscalizadas pelo Banco Central. Neste link você encontra a relação de administradoras em funcionamento no país. Também no site do Banco Central é possível obter informações e tirar dúvidas frequentes para você ter maior segurança na hora de fechar um negócio. Outra instituição que pode ser consultada é a Associação das Administradoras de Consórcio (ABAC). Lá há notícias atualizadas e farta informação sobre o sistema de consórcios. É valido também consultar órgãos de defesa do consumidor.

Existem muitas administradoras autorizadas a abrir grupos e vender cotas, mas com uma pesquisa mais aprofundada você ainda poderá identificar grandes diferenças entre uma ou outra. O segredo é encontrar uma entidade reconhecida, de boa reputação e que tenha uma boa comunicação com você.

Afinal, depois de fechar negócio, serão alguns anos de relacionamento com essa empresa.

2 – Escolha o melhor plano

Embora as regras gerais do consórcio sejam determinadas por lei, as administradoras têm liberdade para oferecer planos conforme acharem mais adequado. 

Na Lei 11.795/2008, que pode ser consultada neste link, é possível conferir o que é permitido no sistema. Após a identificação da administradora que mais agrada você, escolha o melhor plano que ela disponibiliza. Dentro da mesma administradora você pode encontrar opções totalmente diferentes de bens, prazos, taxas, valores de crédito e benefícios.

3 – Leia o contrato atentamente

Quando ocorrer a definição do plano, vem a hora de assinar o contrato de adesão. Mas antes disso, recomendo verificar se no contrato há identificação das partes contratantes, descrição do crédito, taxa de administração, seguro ou outras despesas, percentual de amortização mensal, garantias exigidas após contemplação, prazo de duração do contrato, juros e multa, entre outros direitos e deveres de ambas as partes.

Um ponto importante é observar se consta no contrato a categoria do bem que você deseja comprar quando ocorrer a contemplação. Exemplo: se pretende adquirir um imóvel, o seu contrato de participação de consórcio deverá ser imobiliário. Se a intenção é comprar um veículo, deve estar mencionado bem móvel. Posteriormente, não é possível migrar de uma categoria para outra.

4 – Informe-se bem sobre as garantias

Por lei, a administradora deve resguardar o interesse do grupo. Por isso, seguirá alguns procedimentos com relação às garantias. A liberação do crédito ocorre após a análise e aprovação cadastral, bem como do bem que servirá como garantia da operação. O bem ficará vinculado ao contrato por meio de alienação fiduciária.

Algumas administradoras de consórcio optam por não solicitar aprovação de cadastro nos consórcios imobiliários, exceto na aquisição de cartas contempladas. Nessa situação, o cessionário (comprador da carta contemplada) deve apresentar a documentação exigida para análise e troca de titularidade.

Cada empresa tem seus critérios com relação à garantia e é importante confirmar se o bem pretendido será aceito. Para quem tem o bem específico desde o início, é prudente consultar se não há impedimentos da efetivação da alienação, antes mesmo da compra do consórcio.

5 – Confira a variação da parcela

Ao longo do tempo, os imóveis e os veículos variam de preço por conta da inflação ou de outros fatores de mercado. Assim, para manter o equilíbrio do sistema e garantir as mesmas condições aos consorciados para a aquisição do bem, são feitos alguns reajustes periódicos do crédito.

Assim, contemplado ou não, os reajustes serão aplicados a todos os participantes, garantindo o acesso ao bem referencial, independentemente se a contemplação acontecer no início ou no fim do plano. Seu poder de compra fica garantido. As parcelas serão atualizadas mesmo após contemplação, pois os que ainda não foram contemplados precisam realizar seus objetivos.

6 – Tome cuidado com as promessas dos vendedores

As informações fornecidas pelos vendedores podem ser equivocadas ou incompletas. Isso pode ocorrer porque nem todos os vendedores conhecem as regras da administradora ou da Lei do Consórcio. Portanto, se você está inseguro, entre em contato com a própria administradora para certificar-se sobre as regras especificas de um consórcio. Nada é pior do que ficar com uma expectativa frustrada ou não conseguir retirar o seu crédito.

Espero ter ajudado você a adquirir o seu primeiro consórcio!

Cherli Azeredo é especialista em consórcios, sócia da CN Consórcios e representante comercial das administradoras Yamaha e Rodobens



Posts mais vistos

shares